Por DIDIHU:

Alcançar todo o potencial das novas variedades de mirtilo: Pote + substratos profissionais

Perú es un indiscutible caso de éxito a nivel mundial, comenzó desde cero y en sólo 5 años logró convertirse en el indiscutible Rey en la producción de Blueberries, en el periodo 2020-2021 envió al extranjero un total de 162,459 toneladas por el monto de mil milhões de dólares.

Atualmente, estima-se que existam 60 variedades diferentes cultivadas no território nacional e, com isso, amplia-se a oferta de valor que o Peru tem a oferecer aos mercados de todo o mundo, segundo a Associação de Produtores e Exportadores de Mirtilos do Peru ( Promirtilos).

Mas isso não só representa mais oportunidades, como também obriga os produtores nacionais a adotarem as melhores tecnologias para produzir mais com menos de forma sustentável e alargar a sua presença no competitivo mercado mundial de mirtilos frescos.

Então, como obter o máximo potencial nas novas variedades de mirtilo para atender aos padrões exigidos pelos mercados internacionais? Para conseguir isso, devemos ter sistemas de produção padronizados.

O pacote de tecnologia de substrato para envasamento e fibra de coco provou ser o equivalente a uma fábrica de mirtilo, pois é o veículo de produção ideal porque:

  • Reduz os riscos da agricultura do solo (patógenos, doenças).
  • Conseguimos uma produção muito mais padronizada por termos um meio homogêneo para o desenvolvimento das plantas.
  • As plantas são mais saudáveis ​​e têm maior desenvolvimento radicular, ou seja, mais raízes. O que acaba resultando em maior produção.
  • Reduzir a mortalidade.
  • O fundo fica mais uniforme e limpo, evitando também, com o complemento da cobertura do solo, grama e ervas daninhas.

limitação de água

Agora, não é nenhum segredo que a escassez de água está em níveis alarmantes em todo o mundo. O que acontece então nas áreas do Peru que têm um clima bom, terras excelentes, mas não têm água suficiente? Para suprir essa restrição, o pacote tecnológico pote e fibra de coco é uma opção bastante viável, pois promove maior retenção de umidade.

Graças à nossa experiência com produtores do sul e do norte do Peru com quem trabalhamos, os casos de sucesso compartilham conosco que economizam entre 40%-50% de água ao plantar em vaso e substrato de fibra de coco, em comparação com outros o chão.

Este é um ponto importante para todas as áreas do Peru que possuem excelentes terras, mas uma grande limitação de água, pois a hidroponia também aumenta sua produtividade. Por exemplo, ao migrar do solo para o vaso, ao invés de plantar 100 hectares no solo, mais de 150 hectares podem ser cultivados em vasos. 

Novas Variedades + Potes + Fibra de Coco

A embalagem vaso e coco é ideal para novas variedades de mirtilo, pois normalmente as variedades que são plantadas no solo são plantas que cinco, seis, sete ou até mais anos de vida, portanto, são variedades menos produtivas (menos quilos por planta). 

Portanto, não se trata apenas de desenvolver novas variedades mais produtivas, com mais calibre (tamanho) e que sejam mais "viajantes" (em 2021, devido a problemas logísticos internacionais que surgiram, os mirtilos demoraram até 60 dias para poder ir do Peru à Ásia), mas acompanhá-los com o veículo ideal que nos permita ter mais plantas por hectare e, além disso, fazê-lo de forma sustentável sendo muito mais eficiente na aplicação dos recursos hídricos.

Estamos chegando a um momento crucial na indústria do mirtilo. A única maneira de protegê-lo e continuar a ser um bom negócio para todos é a diferenciação Como produtores temos que investir em qualidade em variedades específicas e no manejo pós-colheita, bem como em tecnologia para continuar com força nos mercados internacionais e isso nos leva a ter um melhor preço de venda. e, desta forma, que a indústria do mirtilo possa continuar a ser lucrativa não só agora, mas nos próximos anos.

Por: Eng. Raúl Mercado.

Raúl é um agricultor hidropônico, localizado no norte do México. Ele é apaixonado por tecnologia e pesquisa de substratos e Agtech em sustentabilidade. Ele é cofundador e
CEO da DIDIHU Global. Ela é 100% foodie e adora descobrir sabores ao redor do mundo.

rm@wearedidihu.com

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Pequenos agricultores do Maine veem benefícios do censo do USDA
Exportação agrícola: Quanto produz Rapel e quanto investiu nos últimos...
Berço de Platero, imparável