Produção de mirtilo avança no Brasil

O cultivo do mirtilo teve início no Brasil na década de 1980, principalmente na região sul do país. Apesar de ser uma planta nativa de locais de clima frio, o cultivo do mirtilo foi possível no Brasil, graças a uma variedade resistente ao calor desenvolvida pela Universidade da Flórida chamada "biloxy".

Bons resultados são observados nas regiões de Piracicaba (SP), no Vale do São Francisco, em Petrolina (PE), em Senador Amaral (MG), na Chapada Diamantina, em Nova Soure (BA) e também no Ceará. Apesar do crescente interesse pela cultura, estima-se que o Brasil ainda importe cerca de 80% do que consome no país, principalmente dos Estados Unidos, Canadá e Peru, informa abrafrutas.org

Em Goiás, o agrônomo Fritz Mohn Penteado começou a estudar a fruta e investiu nesse mercado, na propriedade da família no município de Cristalina, a 280 quilômetros de Goiânia. “Queria produzir algo diferente, com valor agregado, já que não temos uma grande área disponível para plantar. Fui a Brasília ver o jardim dele na UnB [Universidade de Brasília] e também em São Paulo. Mais tarde soube que havia um incentivo à fruticultura em Goiás, por meio do projeto Rota da Fruticultura. No primeiro congresso que participei, fiquei muito empolgado e percebi que estava no caminho certo”, relembra Fritz.

A Rota da Fruticultura tem como objetivo transformar o Cerrado no mais novo polo frutícola do Brasil. A iniciativa é coordenada pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) e desenvolvida em conjunto com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), além de parceiros, como o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar GO e DF), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), entre outros.

Para o produtor, a saída é a chegada de incentivos para que a produção no Brasil decole e chegue a outros mercados. “Podemos ver o tamanho da demanda por mirtilos em países produtores como os Estados Unidos. O Peru, perto de nós, por exemplo, tem toda a sua produção para o mercado externo. Incentivar a produção é a maneira mais fácil de vender. O potencial do Estado é sermos grandes produtores, mas é fundamental termos cada vez mais incentivos para que possamos exportar principalmente, conclui Fritz.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

IFG: Cerejas e uvas de maturação precoce com sabores exóticos g...
México: Grandes portos inauguram novo sistema Smart Port...
Número de empresas peruanas exportadoras para os Estados Unidos passou de 582...