Peru: 2023 continuará sendo um ano difícil para os mirtilos frescos?

2023 pode ser tão complexo quanto 2022 para o mirtilo fresco peruano, que está a poucos meses de completar sua campanha. Isso se deve aos principais efeitos nos mercados causados ​​por conflitos no exterior. Na primeira semana de 2023, foram exportadas 4,708 toneladas, o que significou uma queda de 28% em relação ao mesmo período da temporada passada. Apesar disso, até o momento, o Peru exportou um total de 301,389 toneladas, 27% a mais que na temporada anterior.
Um dos principais objetivos este ano é conseguir dobrar os embarques para determinados lugares onde o mirtilo peruano não tem tanta participação, sendo Israel um dos principais países. Da mesma forma, o foco das atenções tem sido colocado no mercado asiático, onde se busca a abertura de países como a Indonésia e a Coreia do Sul. Até o momento nesta temporada, o principal destino desse produto tem sido os Estados Unidos, com 55% de participação, seguido da Holanda, com 25%.

Já o mercado norte-americano recebeu 165,668 toneladas de mirtilos peruanos. 54% partiram do porto de Paita e 45% por Callao. Já os holandeses adquiriram 75,488 toneladas, e os receberam dos mesmos pontos que os americanos.

Em relação às empresas peruanas exportadoras desta fruta, a que permanece em primeiro lugar é a Camposol SA, com uma participação de 15%. Esta empresa despachou 65% de todos os seus embarques através do porto de Callao.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

As geadas devastadoras causam perdas significativas de mirtilos nos U...
Sonho azul: Ucrânia bate recorde histórico de exportação de mirtilo...
José Antonio Gómez-Bazán, CEO da Camposol: qual o segredo do sucesso...