Reportado ComexPeru

Número de empresas peruanas exportadoras para os Estados Unidos passou de 582 para 946 no setor agrícola e de 80 para 180 no setor agrícola entre 2009 e 2022

(Agraria.pe) Entre janeiro e novembro de 2022, as exportações totais do Peru para os Estados Unidos somaram US$ 7,730 bilhões, apresentando um aumento de 23.4% em relação ao obtido no mesmo período de 2021.

A informação é da Sociedade de Comércio Exterior do Peru (ComexPerú), que destacou que esse resultado também significou um aumento de 39.3% em relação ao obtido no mesmo período de 2020 (ano da pandemia).

Ele destacou que entre os meses de janeiro e novembro dos anos de 2009 e 2022, a taxa média anual de crescimento de nossas exportações para os Estados Unidos foi de 3.5%, e um aumento acumulado de 62%. É assim que, ao longo dos anos, o país norte-americano vem se posicionando como o segundo maior mercado exportador (atrás apenas da China).

Com relação à estrutura das exportações, os embarques de produtos tradicionais nos primeiros onze meses de 2022 somaram US$ 2,719 milhões, apresentando um crescimento de 29.4% em relação ao registrado no mesmo período de 2021. Além disso, esse setor representou 35.2% da o total exportado para esse destino.

Por outro lado, nossas exportações não tradicionais para os Estados Unidos entre janeiro e novembro de 2022 atingiram 5,011 milhões, registrando um aumento de 20.5% em relação ao obtido nos mesmos meses de 2021. Este setor participou com 64.8% do total .

O sindicato internacional destacou que as exportações não tradicionais para o gigante norte-americano apresentaram crescimento sustentado, que desde 2009 aumentaram, em média, 9.3% ao ano. Ele explicou que o setor mais beneficiado foi o agropecuário, que teve um crescimento acumulado de 367.8%.

Já os principais produtos exportados do setor não tradicional entre janeiro e novembro de 2022 são os mirtilos, com US$ 666 milhões, o que representa um crescimento de 15.2% na comparação anual.

Seguem-se as uvas frescas com US$ 409 milhões (+27%); fosfato de cálcio natural com US$ 266 milhões (+80%); abacate fresco com US$ 231 milhões (+36.4%) e aspargos frescos (+23.3%).

“Esses resultados, especialmente os de produtos agroindustriais, confirmam o quão errados estavam aqueles que argumentavam que o TLC com os Estados Unidos faria desaparecer a agricultura peruana”, disse ComexPerú.

Aumento do número de empresas exportadoras
Ele acrescentou que o FTA entre os dois países trouxe consigo maiores oportunidades de exportação, razão pela qual o valor exportado para este destino pelo mypes passou de US$ 151 milhões em 2009 para US$ 189 milhões no final de 2022. .

“Os maiores crescimentos em número de empresas exportadoras entre 2009 e 2022 encontram-se nas empresas do setor agrícola, passando de 582 para 946 e do setor agrícola de 80 para 180 para o mesmo período de análise”, disse.

ComexPerú destacou que ainda existem oportunidades futuras neste mercado que nosso país pode aproveitar. A este propósito, disse que o Ministério do Comércio Exterior e Turismo (Mincetur) tem na sua agenda vários produtos potenciais, onde se destacam vários destinados aos Estados Unidos, sendo os produtos em causa as vieiras, a quinoa e o pisco, que apresentam uma actual preferência tarifária de 0%.

“A abertura desses produtos em questões sanitárias, regulamentação de embalagens, deve ser uma prioridade tanto para os exportadores quanto para as autoridades para sua entrada nos Estados Unidos. Além destes produtos, existem outros com grande potencial como a framboesa e a romã”, comentou.

“Os números mostram que o acordo comercial foi benéfico para o nosso país. A oferta exportável diferenciada conta com a complementaridade, que é favorável tanto para o Peru quanto para os Estados Unidos. Isto leva ao crescimento das empresas e, consequentemente, a uma maior criação de postos de trabalho. As políticas de abertura comercial devem ser continuadas com vista à entrada num maior número de países”, concluiu o sindicato internacional.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Em julho, a FAO México conclui estudo de zoneamento agroecológico em J...
Professor Bruno Mezzetti estará na Blueberry Arena na Macfrut 2024
“França e Bélgica permanecem territórios inexplorados para...