Ministro da Agricultura do Peru, Gustavo Mostajo Ocola:
“Devemos modernizar a agricultura”

Minha missão é desenvolver três eixos estratégicos principais para colaborar na modernização da agricultura, de forma que seja mais rentável e cada vez mais sustentável. Para esse fim, várias iniciativas públicas e privadas devem ser desenvolvidas.

Primeiro, quero destacar o crescimento e a boa gestão do setor de agro-exportação, que na última década aumentou de 52 para 155 o número de mercados internacionais como destino dos produtos agrícolas peruanos. Para continuar crescendo, precisamos redobrar o compromisso do setor e intensificar nossas ações na busca de novos destinos para nossos principais produtos, como abacates, uvas, mirtilos e mangas, entre outros, com vistas a ultrapassar US $ 10 bilhões. nas vendas para o ano de 2021, o que permitirá maior renda aos pequenos e médios produtores.

Para isso, implementamos o Plano Nacional de Agro-Exportação, que visava atingir US $ 7.000 milhões em vendas e exportações nacionais de produtos agrícolas em 2018. Nesse sentido, também é projetado o acordo assinado pelo Ministério da Agricultura e Irrigação com Relações Exteriores e Comércio. Estrangeiros e Turismo, para incorporar agregados agrícolas de abrangência regional, cobrindo os continentes da América, Ásia e Europa e servindo de suporte para a gestão da obtenção de acesso a novos mercados internacionais, mantendo os mercados de destino atuais.

Um segundo eixo de desenvolvimento é a modernização. Os mercados exigem maiores resultados de nossa produção agrícola e chegou a hora de modernizar nossos processos de produção. Nesta perspectiva, foram implementados o Plano Nacional de Culturas e o Sistema Nacional de Monitoramento da Produção Agrícola, com o objetivo de obter um sistema informatizado para todas as culturas do país.

O terceiro eixo corresponde à associatividade dos produtores, para fortalecê-los e para que eles possam acessar créditos, pois não existe modernidade em nossa agricultura sem recursos para adquirir ciência e tecnologia, aspectos essenciais para o desenvolvimento. Precisamos de mais genética, irrigação tecnizada, transporte refrigerado, colheita mecanizada, capas de proteção e outras tecnologias e faremos isso com associatividade e com o apoio total do ministério que lidero.

Gustavo Mostajo Ocola

Ele é engenheiro agrônomo formado pela Universidade Católica de Santa María, em Arequipa. Sua vida profissional começou em 1995 no Serviço Nacional de Saúde Agrícola (SENASA), órgão público do Ministério da Agricultura e Irrigação, onde era responsável pelo controle e erradicação de pragas e doenças de importância econômica no país. Nesta área, o controle da mosca da fruta, febre aftosa e brucelose e tuberculose bovina, bem como seu papel nas atividades de controle biológico de pragas, controle da sarna em camelídeos e vigilância agrossanitária nas fronteiras.

fonte
Martín Carrillo O. - Consultoria Blueberries

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Opinião: O perigo da consanguinidade na indústria do mirtilo

Caso de salvaguardas dos EUA: uma ameaça que não prosperará

Ricardo Polis: "Não podemos voltar atrás"