Aumento da procura por frutas congeladas na Coreia do Sul: uma combinação de tendências económicas e dietéticas

Em 2023, Coréia do Sul importou uma figura Recorde de 64.000 toneladas de frutas congeladas, impulsionado pelo aumento dos custos dos produtos frescos e pelas mudanças nas tendências alimentares. Mirtilos e mangas congelados São as melhores opções para consumidores que buscam alternativas nutritivas e econômicas. As novas políticas de importação da Austrália reflectem um compromisso mais amplo com a segurança, qualidade e biossegurança alimentar no mercado global.

Numa era marcada por mudanças nas preferências culinárias e por ajustamentos económicos, o apetite dos Coréia do Sul para frutas congeladas aumentou para níveis sem precedentes. Em 2023, as importações nacionais destas iguarias frias atingiram um recorde de 64.000 mil toneladas, um aumento de 6% em relação ao ano anterior. Este aumento é uma consequência direta do aumento dos custos associados às frutas produzidas internamente, forçando os consumidores a optarem por alternativas congeladas mais baratas. Entre as seleções congeladas, o mirtilos congelados tornaram-se o primeira escolha para 30% dos consumidores, seguido de perto pelas mangas, com 22%. Este fenómeno sublinha uma narrativa mais ampla de adaptação e mudança no mercado alimentar global.

Adaptando gostos em meio ao aumento dos custos

Por detrás deste aumento da procura reside uma complexa interacção de factores. O aumento dos preços dos produtos frescos, uma preocupação para muitas famílias coreanas, não só alterou os comportamentos de compra, mas também destacou as pressões económicas que sobrecarregam os orçamentos. À medida que os consumidores recorrem cada vez mais a substitutos económicos, as frutas congeladas tornaram-se a escolha preferida de muitos, combinando conveniência com preço acessível. Esta mudança, embora reflicta as condições económicas, também indica a evolução das tendências alimentares, à medida que as famílias continuam a dar prioridade à saúde e à nutrição sem comprometer os custos.

A virada política da Austrália: garantindo segurança e qualidade

À medida que o cenário global de importação e exportação de alimentos passa por revisões significativas, Australia tomou medidas decisivas para salvaguardar os seus padrões de biossegurança e segurança alimentar. Em 2023, o Departamento de Agricultura, Pesca e Silvicultura introduziu requisitos rigorosos de importação para frutas e vegetais congelados, marcando uma mudança fundamental na política. Estas novas normas enfatizam não apenas os métodos de congelamento, mas também a necessidade de extensa documentação e estrita conformidade com os protocolos de embalagem e limpeza. Esta revisão política visa reforçar a segurança, a qualidade e a biossegurança dos produtos alimentares importados, reflectindo um compromisso crescente com a saúde e segurança públicas em todos os níveis.

O efeito dominó global

As repercussões destes acontecimentos são sentidas muito além das costas do Austrália e Coreia do Sul. À medida que as nações de todo o mundo enfrentam os desafios colocados pela mudança climática, flutuações econômico e a evolução das preferências dos consumidores, o panorama do comércio internacional de produtos alimentares está a mudar. A preferência crescente por frutas congeladas na Coreia do Sul, juntamente com as novas e rigorosas políticas de importação da Austrália, sublinha uma tendência mais ampla para a sustentabilidade, segurança e acessibilidade no mercado alimentar global. Estas mudanças não só reflectem a natureza dinâmica dos padrões globais de consumo alimentar, mas também realçam a interligação das políticas internacionais e dos comportamentos dos consumidores.

Em conclusão, as importações recorde de fruta congelada para a Coreia do Sul em 2023, impulsionadas pelo aumento dos custos dos produtos frescos, significam uma mudança notável nas preferências dos consumidores em direcção a opções dietéticas mais acessíveis. Ao mesmo tempo, as revisões abrangentes da Austrália às suas políticas de importação e exportação de alimentos sublinham um movimento global no sentido de melhores padrões alimentares. segurança, qualidade e bioproteção na indústria alimentícia. Tomados em conjunto, estes acontecimentos pintam um quadro vívido de um mundo em transição, onde pressões económicas, as mudanças políticas e as tendências alimentares estão convergindo para moldar o futuro da consumo mundial de alimentos.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Produtores de mirtilo do Zimbábue buscam acesso ao mercado chinês
A indústria de frutas vermelhas no México continua a crescer apesar dos desafios
Revolucionando a irrigação hidropônica de frutas silvestres – a solução 3 em 1