Felipe Silva é reeleito presidente do Comitê Chileno de Mirtilo – Asoex

A decisão foi tomada na sessão de 2 de agosto do novo conselho de administração do Comitê Chileno de Mirtilo para o período 2022-2024.

Em 2 de agosto, teve início o novo Conselho de Administração do Comitê Chileno de Mirtilo, que é renovado a cada dois anos. Na sessão inicial, Felipe Silva foi reeleito como presidente do Comitê, para o período 2022-2024.

Dessa forma, a nova Diretoria do Comitê passou a ser composta por Osvaldo Erbetta, da Hortifrut; Juan Pablo Vogt, Agroberries; José Miguel Rojas, Cato Agrícola; Raimundo Ortuzar, CarSol Frutas; Esteban Chacon, Dole; Ruy Barbosa, Produtor da Baía Norte; Eduardo Tagle, Giddings Fruit, e Felipe Silva, Zurgroup.

Felipe Silva é Engenheiro Agrônomo pela PUC, economista agrônomo e MBA, com mais de 20 anos de experiência no setor de bagas em todo o mundo. Atualmente trabalha como sócio e gerente geral do ZurGroup, e está profundamente envolvido na área de comercialização e produção de diferentes bagas, tanto no Chile como no resto do mundo.

Para Silva, esta “é uma grande responsabilidade que assumo com muito entusiasmo, temos desafios importantes como indústria e é fundamental a colaboração de todos, exportadores, produtores, fornecedores, indústria de alimentos congelados, para avançarmos”.

E acrescenta que "o papel do Comitê Chileno de Mirtilo tem sido essencial para avançar nas transformações que nossa indústria exige para se manter competitiva no cenário mundial, que passou por mudanças importantes nos últimos anos que significam novos desafios, mas que também grandes oportunidades.”

Sobre os desafios da diversificação dos embarques desta fruta, Silva assegura que "apesar de mantermos uma concentração das nossas exportações de mirtilo fresco na ordem dos 50% para os EUA, o Comité e os exportadores têm feito grandes progressos na diversificação de mercados com crescimento na Europa e na Ásia. Nesse sentido, o apoio da ProChile foi essencial para reforçar as campanhas promocionais que o Comitê implementa há 10 anos, buscando desenvolver o consumo de mirtilo."

Além disso, Silva referiu-se às complexidades da época passada devido à crise logística e explicou uma das soluções que surgiram para esta nova campanha. “Os desafios mais imediatos estão relacionados ao aspecto logístico, que impactou toda a indústria frutífera chilena e, em particular, os mirtilos. Nesse sentido, o chamado «Blueberry Express», serviço de fretamento para o mercado norte-americano a partir da semana 49 é uma boa notícia para a indústria, pois teremos que melhorar substancialmente os tempos de trânsito e com isso a oportunidade para as chegadas e a chegada condição da fruta”, destacou.

Acrescentou ainda que “outro aspecto, e nisso já avançamos desde as temporadas anteriores, refere-se à substituição varietal. O Chile é um precursor no desenvolvimento da indústria há mais de 20 anos. No Chile, o mix de variedades está sendo fortemente renovado, há novas variedades sendo plantadas e as mais antigas derivadas para o mercado de congelados ou para o mercado local. Como resultado desse esforço, o Chile melhorou notavelmente seu mix varietal, temos trabalho a fazer, mas a substituição foi muito importante”.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

A Freshfel Europe defende a competitividade do setor dos produtos frescos...

Projeto de robótica aponta para uma 'mudança de mar' no p...

A crise agroalimentar piora após sete meses de guerra no...