Empresa peruana de mirtilo abre operações no México

A desenvolvedora genética, produtora e exportadora de mirtilos Inka's Berries acaba de inaugurar operações no México, em parceria com o empresário local do setor farmacêutico, Carlos Gereda, fundador da empresa, disse ao Día1.

Conforme necessário, serão plantados hectares de mirtilos 70 no Valle de Santiago, em Guanajuato, noroeste da Cidade do México. "Queremos complementar a janela mexicana que vai da quinzena de dezembro até o final de março ou início de abril", explica Gereda, após comentar que no Peru a colheita começa em meados de julho e se estende até o final do ano.

Quanto ao investimento que farão no novo local, indicam que será de US $ 3,5 milhões, apenas na instalação da árvore frutífera. O terreno é de seu sócio, portanto não será necessário adquirir novos terrenos, diz Gereda.

A aposta no México os levará além do negócio de frutas frescas, que responde por 80% do seu faturamento, já que a empresa se prepara para lançar “clubes de produtores”, que lhes permitirão globalizar sua genética. Eles vão começar no Peru e no México e em 2021 eles vão pousar sob este esquema em Huelva, Espanha, relata o executivo.

"A estratégia é ter 10% da produção de cada país", diz ele e salienta que no México existem alguns 5.000 ha, em Huelva outro 4.000 e no Peru, perto de 9.000 ha.

O interesse em Huelva é que já existe uma indústria de mirtilo desenvolvida. Existem hectares 4.000 e eles procuram novas alternativas para a mudança genética, porque tiveram muitos problemas com variedades já estabelecidas ”, responde Gereda.

Até 2021, a empresa planeja dobrar seu faturamento estimado para este ano, após concluir a plantação de 200 hectares em Huacho, ao norte de Lima. Segundo Gereda, eles ainda não avaliaram o impacto que México e Espanha terão sobre seu faturamento no curto prazo.

comentário

De acordo com dados fornecidos pelo Comitê Chileno de Mirtilo, a estação 2018-2019 para exportar mirtilos chilenos foi de 110.794 toneladas, um volume ligeiramente superior ao exportado na última temporada. Del No total, as toneladas 13.301 corresponderam a mirtilos orgânicos, que apresentaram forte crescimento nesta campanha de 33% em relação ao ano anterior.

Em relação à distribuição dos mercados, a América do Norte representou 58% dos embarques, a Europa um 29% e o Extremo Oriente um 12%. Em termos de crescimento de volume, a Europa cresceu 6.600 toneladas, o Extremo Oriente, 303 toneladas, enquanto a América do Norte diminuiu 6.167 toneladas.

fonte
Agrimundo

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Argentina: A produção e exportação de mirtilos declina

As uvas superam o mirtilo e é a fruta mais exportada no Peru durante ...

Espanha: Huelva é a província com maior crescimento das exportações de...