Diretor Comercial do ProChile em Xangai: "A China mudou, o consumidor será muito mais exigente"

As declarações foram feitas no âmbito do webinar: "Abertura da China aos citros chilenos: o seminário abordará as oportunidades que oferece às empresas produtoras e exportadoras da região", realizada ontem de manhã

Juan José Vidal, diretor comercial do ProChile em Xangai e Catalina Cuevas, chefe de sustentabilidade do ProChile, foram os relatores do seminário que a instituição organizou em conjunto com o Programa Estratégico Regional para o Cultivo Sustentável de Frutas, Perfrut, sobre a abertura do mercado chinês de citros nacionais .

A atividade reuniu mais de 50 produtores e exportadores, principalmente da região de Valparaíso, e serviu, por um lado, para caracterizar o mercado chinês, divulgar as preferências do consumidor e identificar os principais concorrentes e, por outro, detalhar as vantagens competitivo que oferece uma abordagem sustentável à produção.

Na sua apresentação, Juan José Vidal disse que “fazer negócios na China é uma maratona, leva tempo. Nesse sentido, é essencial estabelecer confiança com o importador ou o distribuidor ”. Em relação às tendências, especialmente após a disseminação do COVID-19, Vidal comentou que “existe uma clara tendência a consumir produtos de alta qualidade. China mudou, o consumidor vai ser muito mais exigente. A questão da segurança alimentar é fundamental, é algo em que você deve trabalhar, montar uma história inteira e agregar valor à nossa oferta ”.

Vicente Alti, diretor regional do ProChile em Valparaíso, complementou a ideia dizendo que “a abertura do mercado chinês é uma tremenda oportunidade, pois permite diversificar destinos e reduzir a dependência de outros compradores, como os Estados Unidos. No entanto, precisamos ter atributos para enfrentar a concorrência e a sustentabilidade surge como um diferenciador e um agregador de valor para a nossa oferta ”.

Do Programa Estratégico Regional de Fruticultura Sustentável, cujo objetivo é incentivar uma maior participação dos fruticultores da região no mercado de exportação e fortalecer a Região de Valparaíso como uma área de produção agrícola sustentável, seu gerente Kurt Neuling disse que “sustentabilidade é um bom negócio que agrega valor à fruta chilena, para se consolidar como um produto saudável, que atende às normas socioambientais valorizadas pelos novos consumidores, o que é muito relevante para posicionar o Chile neste novo cenário mundial pós-pandêmico ”.

A chefe de sustentabilidade do ProChile, Catalina Cuevas, acrescentou que “o comércio sustentável deixou de ser uma tendência e foi instalado como uma oportunidade de nos diferenciar e fazer mais com menos. É essencial que as empresas adotem processos de produção responsáveis ​​e transparentes que aumentam sua competitividade e os tornam mais resilientes. ”

No final de maio, a temporada de exportação de citros para a China começou com o embarque de 23 toneladas de clementinas e 74 toneladas de limões. Valparaíso é a segunda região do país que mais exporta esses produtos, depois de Coquimbo. O total de embarques de citros em 2019 ultrapassou US $ 318 milhões, com os principais destinos sendo Estados Unidos, Japão, Holanda, Coréia do Sul e Canadá. Quanto aos produtos, toranjas frescas, clementinas frescas, laranjas frescas e limões frescos lideram o ranking de embarques.

fonte
SimFRUIT de acordo com informações do ProChile

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

A Westfalia aumenta as credenciais verdes ao obter o credenciamento do CAR...

INTERFRESA leva os valores saudáveis ​​dos mirtilos a Madrid

Fall Creek incorpora novo gerente comercial para Peru, Colômbia e Equador