Argentina: APAMA visa evitar a mosca da fruta em mirtilos

A entidade que reúne os produtores da Mesopotâmia formou uma equipe de técnicos e especialistas que já trabalha para evitar a presença da mosca-das-frutas na produção regional. O objetivo é garantir uma boa colheita de 2016 e cumprir as exigências fitossanitárias dos mercados internacionais que apoiam a atividade, principalmente exportadores, em Concordia e na área.

A Associação dos Produtores de Oxicoco da Mesopotâmia Argentina (APAMA) apresentou seu plano para o controle da mosca-das-frutas, um inseto que ocorre principalmente na produção entre meados de outubro e o final de novembro, no final da colheita nesta região .
Para atender às demandas do mercado nacional e internacional, e assegurar a economia local um bom 2016 colheita, Apama investido próprio orçamento e coordenado com SENASA e INTA a formação de uma equipe de especialistas que vai investigar o comportamento do inseto durante todo o ano para determinar as melhores estratégias de combate da mosca, que nos últimos anos migrou de citros para mirtilos.
Para avançar na prevenção, a equipe da APAMA determinou um plano de monitoramento nas zonas 7 da região, implantando armadilhas para visualizar o comportamento da praga em tempo real. As áreas de atuação serão: Colonia Ayuí, La Criolla, Estação Yuquerí, Osvaldo Magnasco, Colônia Roca, Charrúas e Calabacilla. Juntamente com o SENASA, as amostras serão avaliadas no laboratório que esta organização nacional possui em Chajarí.

Ele explicou o assessor Apama especialista, Gonzalo Carlazara, os objetivos deste novo plano destinada a obter que durante este ano 100% da área de arandanera da nossa região está sob monitoramento, controle, assim, a população de moscas que podem apresentar potencial.

Fonte: infocampo.com.ar

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

A inflação faz sentir seu efeito ao atingir a demanda e inclinar o...

Ferramenta web desenvolvida pela UF ajuda produtores de mirtilo...

Agronomia em gráficos: exportações peruanas de mirtilo atingem n...